top of page

Laranjal infectado com cancro citro e destruído em Espigão do Oeste pelo IDARON



Esta semana o IDARON após várias analises detectou em um pomar de nosso município uma certa quantidade de laranjeiras contaminadas pelo cancro cítrico, o cancro cítrico é uma das principais doenças que causadora de danos nos pomares de citros e ao bolso do citricultor. Com o apoio da secretária de agricultura(SEMADER), foi necessário a destruição do pomar que tinha cerca de 12 anos, segundo o produtor Gilberto, muito triste o produtor disse( não e fácil ver anos de trabalho sendo destruído, mas temos a certeza que isto e por uma boa causa e um futuro melhor não afetado outro plantas que ainda tenho aqui próximo),finalizou o Sr. Gilberto. O cancro cítrico ataca todas as espécies de citros, especialmente a laranja. As variedades mais resistentes são: poncan, mexirica do rio, limão taiti, laranja pêra, entre outras. A doença é causada pela bactéria Xanthomonas citri, que está presente no Brasil há 48 anos, de acordo com informações do Fundecitrus. Ela se manifesta por meio do surgimento de lesões, parecidas com verrugas, nas folhas, ramos e frutos. O microorganismo pode ser disseminado pelo homem, vento ou chuva ou por mudas contaminadas. Ainda segundo a associação que representa os citricultores e as indústrias processadoras de frutas, a bactéria espalha-se rapidamente pelo pomar. Atualmente, a única forma de enfrentar o cancro cítrico é com a eliminação das plantas contaminadas ou sob suspeita de contaminação. De acordo com a legislação, se na área de plantio houver mais de 0,5% de árvor


es contaminadas, todo o pomar deverá ser destruído. Se o índice de contaminação for igual ou inferior a 0,5%, devem ser erradicados apenas os pés com problema e os que estão situados num raio de 30 metros.








bottom of page